RIO DE JANEIRO (Reuters) – Decreto publicado pelo governo federal nesta quarta-feira que visa reduzir consumo elétrico em prédios públicos é uma medida de economia, para enfrentamento da crise hidrelétrica, e não de racionamento, afirmou o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque.

O ministro frisou que o governo poderá adotar medidas já empenhadas no passado que forem necessárias para enfrentar a crise hídrica, após lições aprendidas, mas reiterou que o governo não trabalha com a hipótese de racionamento.

“Fundamental é o exemplo… Na nossa visão, não faria sentido pedir (economia) a todos os consumidores e o governo federal não fazer a sua parte”, afirmou Albuquerque, ao participar de coletiva de imprensa para apresentar esforços do para garantir o abastecimento elétrico do país.

O país passa hoje pela maior crise hídrica em mais de 90 anos em reservatórios de hidrelétricas, principal fonte de energia do país.

(Por Marta Nogueira e Roberto Samora)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).