A XP Inc. registrou um lucro líquido ajustado de R$ 846 milhões no primeiro trimestre deste ano, representando alta de 104% em relação ao mesmo período do ano anterior e de 17,3% em comparação ao quarto trimestre do ano passado. A receita bruta foi de R$ 2,8 bilhões no primeiro trimestre de 2021, ante R$ 1,85 bilhão do mesmo trimestre de 2020, alta de 50%.

O Ebtida Ajustado (lucros antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) também registrou avanço no período, chegando a R$ 1 bilhão no trimestre – 75% a mais em relação ao primeiro trimestre de 2020.

A margem líquida ajustada avançou para 32,2% no primeiro trimestre, de 23,9% no mesmo intervalo de 2020 e de 30,1% no quarto trimestre de 2020.

“Tivemos o melhor trimestre de nossa história, e reinvestiremos 100% do resultado em nosso crescimento. A escalabilidade e rentabilidade do nosso modelo de negócios permite acelerar investimentos em novas frentes, como o universo de serviços e produtos bancários”, afirmou o sócio e diretor financeiro da XP, Bruno Constantino.

Segundo ele, a companhia fechou o primeiro trimestre com recorde em todas as métricas operacionais e de resultado.

No período encerrado em 31 de março, a companhia atingiu R$ 715 bilhões em ativos sob custódia (AUC na sigla em inglês), avanço de 96% na comparação com igual período de 2020.

A XP Inc. somou um total de 3 milhões de clientes ativos no primeiro trimestre de 2021, um aumento de 47% em relação ao mesmo período do ano passado.

Embora afirme que a XP irá alcançar os R$ 1 trilhão em ativos sob custódia, Constantino frisou que a data é o menos importante. “Isso é o menos relevante, queremos ter garantia que os nossos 3 milhões de clientes estão sendo bem atendidos”, afirmou.

A média mensal de entrada de clientes aumentou de 44 mil no quarto trimestre de 2020 para 72 mil no primeiro trimestre de 2021, refletindo a sazonalidade e a redução das taxas de corretagem para negociação de ações online na Rico e XP no terceiro trimestre de 2020, além dos esforços contínuos da companhia na atração e retenção de clientes e reconhecimento da marca.

Em termos financeiros, os ingressos líquidos mensais foram de R$ 14,2 bilhões durante o primeiro trimestre, um aumento de 15% frente ao quarto trimestre. O volume diário de transações do varejo com ações, futuros e fundos imobiliários, bateu 2,3 milhões, o que é um volume recorde histórico, de acordo com Constantino.

A XP encerrou o primeiro trimestre com uma carteira de crédito de R$ 4,7 bilhões, crescimento de 22% frente ao quarto trimestre.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).