A Renner teve queda de cerca de 94% no lucro líquido do primeiro trimestre sobre o resultado positivo de um ano antes influenciada pelos impactos da epidemia de Covid-19 sobre sua divisão de serviços financeiros. O balanço de resultados foi divulgado na noite de quinta-feira (21).

Veja os destaques:

O lucro líquido foi de R$ 10,4 milhões entre janeiro e março,  ante lucro de R$ 162 milhões no mesmo período de 2019.

As despesas operacionais avançaram 8,7% em meio às medidas de isolamento. A justificativa é a antecipação de projetos de digitalização, inicialmente previstas para os próximos dois anos.

As vendas nas lojas caíram 10,7% no primeiro trimestre.

A receita líquida de venda de mercadorias recuou 6%, para R$ 1,55 bilhão. Apesar disso, a empresa conseguiu deixar a margem bruta praticamente estável em 55,4%.

Os serviços financeiros da Renner, entre eles o cartão de crédito, sofreram queda no resultado de quase 79% na comparação anual.

A companhia aumentou de 12,2% para 17,3%  a provisão, que é a reserva de dinheiro para cobrir inadimplências no cartão de crédito.

As perdas estimadas de crédito do Cartão Renner subiram de R$ 78,7 milhões no primeiro trimestre do ano passado para R$ 197,5 milhões nos três meses encerrados em março deste ano. Na operação de cartão emitido em parceria com outras empresas, as perdas estimadas subiram de R$ 237 milhões para R$ 362 milhões.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.