O bilionário indiano Gautam Adani, de 58 anos, perdeu mais dinheiro nesta semana do que qualquer pessoa em todo mundo: sua fortuna caiu US$ 9 bilhões, chegando a US$ 67,6 bilhões, de acordo com o ranking da Bloomberg.

A queda no valor das ações das empresas de Adani começou na segunda-feira (14) e segue até esta quinta, depois do Economic Times noticiar que a autoridade indiana congelou contas de três fundos baseados nas Ilhas Maurício, relacionados a empresa, por informações fiscais insuficientes.

A maior parte das participações dos fundos Albula Investmente Fund, Cresta Fund e APMS Investmente Fund são ações da empresa de Adani, que somam US$ 6 bilhões.

A companhia afirmou que a reportagem estava errada e que foi feita para “enganar deliberadamente a comunidade investidora”. Depois da notícia, investidores preocupados com a transparência da operação saíram do fundo.

As offshores das Ilhas Maurício representam mais de 90% dos recursos que estão sob gestão das companhias de Adani, de acordo com a Bloomberg Intelligence.

“Deve existir maior clareza para garantir quem são os donos finais das ações”, afirmou Hemidra Hazari, um analista independente de Mumbai.

Investidores estão preocupados com fundos

Um porta-voz do grupo de Adani não quis comentar nada além da troca de documentos desta semana. Os fundos baseados nas Ilhas Maurício são “investidores da empresa de Adani há mais de uma década”, afirmou comunicado no dia 14 de junho. “Nós pedimos que nossos investidores não se preocupem com especulações de mercado”.

As ações da Adani Green Energy Ltd, a mais valiosa para o magnata, caíram 7,7% esta semana. Adani Ports & Special Economic Zone Ltd tombou 23% em quatro dias, Adani Power Ltd., Adani Total Gas Ltd. e Adani Transmission Ltd. caíram, pelo menos, 18%, enquanto a Adani Enterprises caiu quase 15%.

Desde o início do ano passado, algumas ações do grupo subiram mais de 500%, apostando que os investimentos do empresário em setores relacionados a energia renovável, aeroportos, data centers e contratos de defesa trariam retornos significativos. No início deste mês, a riqueza de Adani estava perto de US$ 80 bilhões.

A rápida valorização, combinada com grande parte das ações detidas por fundos estrangeiros com pouco interesse público, são um perigo para Adani. “Eu espero que o ciclo especulativo sobre as ações do Grupo Adani tenha chegado ao fim”, afirma Travis Lundy, analista da Smartkarma.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).