A Petz, maior rede de petshop do país, apresenta um novo benefício a seus colaboradores: a Licença PETernidade. Segundo a empresa, a medida é para incentivar a adoção responsável, promover o bem-estar animal e fortalecer as conexões entre pets e tutores

A rede abre reflexão sobre a posse responsável, com iniciativa que contempla um tempo livre para os funcionários que recém adquiriram um pet possam preparar seus lares e se dedicar à adaptação do novo membro da família.

Como vai funcionar? A Licença PETernidade vai ser da seguinte forma: ao realizar a adoção de um cão ou gato, os colaboradores da Petz deverão notificar o RH da empresa, apresentando as devidas documentações que comprovam a iniciativa, e então passam a usufruir do benefício de dois dias livres para cuidar do pet.

“Diferentes de uma folga ou um prêmio, esses dias de ausência no trabalho vão possibilitar que o novo tutor se dedique à chegada do pet com o foco e o cuidado merecidos. O bem-estar do animal também reflete positivamente no bem-estar dos nossos colaboradores”, conta Fernanda Fernandes, diretora de RH da Petz.

Além da licença que fomenta a adoção responsável para os seus colaboradores, o projeto PETeternidade contempla uma curadoria de conteúdo para ampliar informações relevantes para o tutor que acaba de adotar um bichinho. No site a rede concentra orientações e dicas para o período de adaptação a nova rotina da família.

Essa moda vai pegar? A Petz espera que sim. De acordo com a empresa, o projeto propõe um grande movimento que deve contagiar empresas de diferentes segmentos, a fim de gerar na sociedade uma conscientização na importância do bem-estar animal. Garantir a adaptação adequada com a chegada de um pet é zelar pela qualidade de vida deles e um compromisso com o bem-estar físico, mental e emocional dos bichinhos.

“Acreditamos que a licença PETernidade possibilitará uma melhor conexão entre o tutor e seu pet. Parte dos comportamentos indesejados dos pets são consequência de ambientes inadequados para acolher seus instintos”, relata a Dra. Valéria Correa, diretora técnica da rede Petz e do Centro Veterinário Seres.

Segundo Correa, essas situações podem ser evitadas ou minimizadas com ações simples como a adoção de rotinas e a prática do enriquecimento ambiental, com adaptações do ambiente doméstico que estimulem experiências semelhantes às existentes na natureza, conforme as necessidades e comportamentos de cada espécie.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).