FRANKFURT (Reuters) – Muitos dos motivos do recente aumento da inflação na zona do euro são temporários e devem enfraquecer no próximo ano, disse a presidente do Banco Central Europeu, Christine Lagarde.

Os preços da zona do euro têm avançado mais rápido do que o esperado com a reabertura da economia após lockdowns impostos por causa da pandemia, e vários formuladores de política monetária do BCE acreditam que a inflação ficará próxima ou até acima da meta de 2% do BCE no ano que vem.

Em entrevista ao canal CNBC nesta sexta-feira, Lagarde atribuiu grande parte do aumento às interrupções no fornecimento e disse que a inflação deve se estabilizar no próximo ano. Mais tarde, a declaração dela foi corroborada pelo membro italiano do BCE Ignazio Visco.

“Acreditamos que haverá um retorno a muito mais estabilidade no ano que vem porque muitas das causas dos preços mais altos são temporárias”, disse Lagarde.

“Quando você olha o que está causando isso, muito tem a ver com os preços da energia.”

Ela acrescentou que “as coisas vão se encaixar” quando novas fontes de suprimento forem encontradas, mas alertou que os preços mais altos da energia podem persistir, pois estão relacionados a uma transição dos combustíveis fósseis.

Em declarações à emissora italiana Rai, o presidente do Banco Central da Itália, Ignazio Visco, disse não ver “nenhum motivador subjacente” para a persistência da inflação além deste aumento temporário e que os salários não estão sendo aumentados.

(Reportagem de Francesco Canepa)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).