Thor Batista, filho do empresário de Eike Batista, teve R$ 778 milhões de seus bens bloqueados. O processo é movido por Bernardo Bicalho, administrador judicial da MMX, mineradora do grupo do empresário que tem sede em Minas e que está em recuperação judicial.

Thor Batista, filho do empresário Eike Batista, em foto tirada em abril de 2013 em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense
Crédito: Carlos Moraes/Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Qual o objetivo do processo? Que os valores de contas pessoais de Eike e Thor, por exemplo, sejam usados para pagar débitos com credores da mineradora.

Isso vai acontecer? Por enquanto não. A autorização dada pelo Tribunal de Justiça de Minas Gerais nesta terça-feira (30) autorizou apenas o bloqueio do valor, mas não o uso do dinheiro para quitar débitos da mineradora.
A não autorização da Justiça reforça o entendimento de que esse tipo de débito vale para os recursos da empresa, mas não para bens relacionados aos donos da mesma.
A decisão do TJ se limita ao bloqueio do dinheiro, segundo o advogado Rodrigo Kaysserlian, presidente do Instituto Brasileiro de Rastreamento de Ativos, que ajuda a reunir os recursos em nome de Thor.
(Com Estadão Conteúdo)
Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).