O JPMorgan Chase prometeu destinar bilhões de dólares para ajudar a promover a igualdade racial, como o plano de subscrever empréstimos imobiliários para negros e latinos e mudanças na forma como o avanço em diversidade de seus próprios executivos é avaliado.

Entre os planos anunciados na quinta-feira (8), o banco disse que planeja gastar US$ 8 bilhões para originar 40 mil hipotecas para famílias de negros e latinos nos próximos cinco anos. O banco originou US$ 4,2 bilhões desses empréstimos no ano passado, de acordo com dados do governo dos EUA. Os US$ 8 bilhões superam os empréstimos normais, disse uma porta-voz.

“Podemos fazer mais e melhor para romper os sistemas que propagaram o racismo e a desigualdade econômica generalizada, especialmente para negros e latinos”, disse o CEO Jamie Dimon no comunicado. “Já passou da hora de a sociedade lidar com as desigualdades raciais de uma forma mais tangível e significativa.”

As mudanças são resultado de meses de discussões sobre como lidar com a desigualdade racial, estimuladas pelos protestos em meados do ano nos Estados Unidos em razão da morte de George Floyd pela polícia.

O JPMorgan e outros grandes bancos americanos foram pressionados a ajudar a remediar as desigualdades econômicas baseadas em raça que o setor ajudou a criar. Bancos como Goldman Sachs e Wells Fargo prometeram melhorar a diversidade entre suas próprias fileiras.

O JPMorgan, maior banco dos EUA, disse que seus compromissos totalizam US$30 bilhões, o que inclui alguns gastos existentes.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).