O GPA, dono das marcas Pão de Açúcar e Extra, aposta no preço baixo para recuperar as vendas do formato hipermercado. É essa a estratégia que está sendo praticada na rede Extra. Isso não significa, segundo o presidente do GPA, Jorge Faiçal, que o Extra vai se transformar em um atacarejo.

“A gente está convicto nesse posicionamento de modelo de hipermercado atrelado a preço e à experiência. Hipermercado caro hoje é hipermercado morto. Hoje, somos o hiper mais barato do Brasil e vamos continuar assim”, disse ele em teleconferência com analistas de mercado.

As vendas totais do GPA Brasil somaram R$ 7,1 bilhões no segundo trimestre, uma queda de 12,1% em relação a igual período de 2020. O Extra foi justamente o modelo mais prejudicado: queda de 24,1% na receita bruta, que somou R$ 2,8 bilhões. O faturamento do Pão de Açúcar encolheu 13,9%, atingindo 1,8 bilhão.

Entre os fatores que prejudicaram o desempenho das duas redes, segundo Faiçal, estão as restrições impostas pela segunda onda de covid-19, o aumento do desemprego e a queda da renda. Por conta desses dois últimos motivos, o GPA aposta na estratégia de reposicionamento de preço para recuperar as vendas do Extra.

“O Pão de Açúcar tem um posicionamento de qualidade, produto fresco, serviços. O Pão aposta no prazer do cliente ir até a loja para fazer a compra. Obviamente, nesse período de aumento de desemprego e queda na renda, sofreu um pouco mais. Mas temos convicção de que esse sofrimento é pontual e temporário. O Pão é nossa joia da coroa”, afirmou Faiçal.

O presidente do GPA aproveitou a teleconferência para fazer propaganda da promoção de aniversário do Pão de Açúcar, que oferece descontos nos preços dos vinhos.

Aposta no digital

Faiçal disse que a companhia vai continuar apostando em parcerias de entregas ultrarrapidas de vendas feitas pelo canal digital. O GPA fechou nos últimos meses parcerias com iFood, Rappi, Supermercad Now e Cornershop, além de manter entregas pelo James Delivery, empresa de entregas do próprio grupo.

No primeiro trimestre, o e-commerce alimentar do GPA cresceu 32% em relação a igual período de 2020 e de 38% frente ao primeiro tri. Essas vendas já representam 8,2% da venda total do segmento de alimentos do GPA Brasil, com picos de 20% de representatividade no Pão de Açúcar.

“Foi a operação mais rápida de implementação e conseguimos ter um crescimento expressivo. Vamos expandir cada vez mais e chegar aos perecíveis. Queremos tirar o preconceito de comprar hortifrúti pelos canais digitais”, diz o CEO do GPA.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).