Por Ben Klayman e Paul Lienert

DETROIT, Estados Unidos (Reuters) – A General Motors reportou nesta quarta-feira lucro no segundo trimestre, revertendo prejuízo de um ano antes, quando as medidas de isolamento social obrigaram a empresa a paralisar atividades.

A montadora também elevou previsão de desempenho para o ano inteiro, apesar do impacto de 800 milhões de dólares gerado pelo recall do veículo elétrico Chevrolet Bolt.

O lucro líquido somou 2,8 bilhões de dólares, ou 1,90 dólar por ação, em comparação com um prejuízo no trimestre do ano anterior de 806 milhões de dólares, ou 0,56 dólar por ação.

A GM disse que o lucro ajustado antes de juros e impostos, de 4,1 bilhões de dólares, foi recorde, com o resultado no primeiro semestre somando 8,5 bilhões. Isso impulsionou a projeção para o Ebit ajustado do ano todo para a faixa de 11,5 bilhões a 13,5 bilhões de dólares, de 10 bilhões a 11 bilhões de dólares projetados anteriormente.

A empresa espera perder produção de cerca de 100.000 veículos na América do Norte no segundo semestre e prevê que os custos das commodities aumentem entre 1,5 bilhão e 2 bilhões de dólares.

“A escassez de semicondutores continua e os desafios da cadeia de abastecimento persistem” no segundo semestre, disse a GM.

A presidente-executiva da montadora, Mary Barra, disse em teleconferência nesta quarta-feira, que os estoques da GM nos EUA estão “muito baixos”, com fornecimento suficiente para 25 dias. “Imagino que será muito apertado pelo resto do ano e a situação deve continuar no próximo.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).