Por Min Zhang e Shivani Singh

PEQUIM (Reuters) – Os contratos futuros de carvão metalúrgico e de coque negociados na China saltaram cerca de 9% nesta segunda-feira, para máximas recordes, com a oferta permanecendo apertada, embora Pequim tenha intensificado os esforços para aumentar a produção.

Os contratos futuros de carvão metalúrgico mais negociados na Bolsa de Commodity de Dalian, para entrega em janeiro, subiram 9%, para 3.869 iuanes (601,24 dólares) a tonelada, antes de fechar em alta de 8,4%, a 3.847 iuanes por tonelada.

Os futuros do coque atingiram seu limite diário de negociação, com alta de 9%, para 4.344 iuanes por tonelada.

“Os preços do coque foram sustentados principalmente pela matéria-prima de carvão metalúrgico”, disse Tang Binghua, analista da Founder CIFCO Futures, acrescentando que ainda havia aperto no fornecimento de carvão metalúrgico e térmico.

“A situação (oferta restrita) ainda não melhorou, especialmente porque o governo precisa garantir a demanda de aquecimento durante o inverno.”

A produção de carvão da China ficou em 334,1 milhões de toneladas em setembro, ante 335,24 milhões de toneladas em agosto e queda de 0,9% na comparação anual, de acordo com dados do órgão nacional de estatísticas.

A produção de coque no mês passado caiu 9,6% no comparativo anual, para 37,18 milhões de toneladas, mostraram os dados.

Outros ingredientes siderúrgicos caíram. Os futuros do minério de ferro de referência na bolsa de Dalian recuaram 2,3%, para 711 iuanes por tonelada.

Os preços do aço na Bolsa de Futuros de Xangai caíram. O vergalhão de aço usado na construção fechou em queda de 1,2%, para 5.422 iuanes por tonelada.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).