A Autoridade de Competição da França multou o Google em US$ 593 milhões por supostamente violar uma determinação sua e não negociar acordos pagos com editores de notícias na internet, aumentando a pressão sobre a empresa em uma luta global sobre como e se as companhias de tecnologia devem pagar pelos conteúdos editoriais de terceiros.

O regulador francês acusou a Google de violar uma ordem de abril de 2020 de que a sua controladora, a Alphabet, deveria negociar com o veículos donos do conteúdo o direito de mostrar trechos das notícias em seus resultados de busca. Esses pedidos vieram após reclamações de editores de que o Google estava evitando a implementação de uma nova diretiva de direitos autorais da União Europeia.

Desde então, o Google fez acordos pagos com algumas editoras de notícias francesas, como Le Monde e Le Figaro, mas não com outras como a Agência France Presse.

Isabelle de Silva, chefe da autoridade da concorrência, disse que a multa – entre as maiores do regulador francês nos últimos anos – leva em consideração a “gravidade excepcional” das violações alegadas. “Quando a autoridade impõe ordens às empresas, elas são obrigadas a aplicá-las escrupulosamente, respeitando sua letra e espírito. Neste caso, infelizmente, não foi o caso”, disse Silva.

“Estamos muito decepcionados com esta decisão”, afirmou uma porta-voz do Google. “Temos agido de boa-fé em todo o processo. A multa ignora nossos esforços para chegar a um acordo e a realidade de como as notícias funcionam em nossas plataformas.”, acrescentou. Fonte: Dow Jones Newswires.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).