A disputa pelo portfólio de investimento dos clientes de alta renda acaba de ganhar novos contornos. O Itaú Personnalité, segmento premium do maior banco brasileiro, lançou na noite de terça-feira (23) uma série de vídeos em que mira as corretoras e o modelo de agentes autônomos de investimento.

Pode-se definir a ofensiva como “fogo amigo”. A XP, responsável por difundir esse modelo no país e líder no segmento, tem no Itaú o seu principal acionista.

Como são as campanhas: Em um dos vídeos, três assessores de investimento do Itaú Personnalité dão depoimentos para a câmera. Um deles, identificado como Eduardo Forestieri, afirma: “Sua carteira é feita para você ganhar, porque nossa remuneração não muda conforme o investimento que você faz.” Outra especialista do Itaú, Patricia Aiello, mira os clientes que perderam dinheiro com a queda da Bolsa deste ano. “Em 2019, eu cheguei até a perder clientes aqui no Itaú Personnalité, só porque a gente não recomendava entrar cegamente na euforia da Bolsa.”

Em outro vídeo, um cliente que diz estar em 2019 recebe ligações de seu assessor de investimento com dicas para aplicar o seu dinheiro. “Tô me sentindo o rei de Wall Street”. A mesma pessoa, dessa vez em 2020, rebate: “Aqui em 2020, a gente viu que não tinha risco para ele, que ganhava comissão por tipo de investimento”.

E por que isso ataca o modelo da XP? Sem agências próprias, a XP trabalha com o modelo de agente autônomo. Em geral, são ex-gerentes de banco e profissionais com experiência no mercado financeiro que passam a representar a XP junto a clientes pessoa física. Eles funcionam como assessores de investimento, e recomendam produtos disponíveis na plataforma da corretora. Eles não recebem salário da XP. Sua remuneração vem de uma comissão por investimento feito pelo cliente — modalidade conhecida como “rebate”. O percentual da comissão varia de acordo com o produto investido, o que levanta suspeitas de que as indicações podem ser feitas visando o tamanho da comissão recebida, e não a rentabilidade ou adequação ao perfil do investidor.

Repercussão: A ABAAI (Associação Brasileira de Agentes Autônomos de Investimentos) divulgou nota ainda na noite de terça-feira contra a campanha do Itaú. Segundo a entidade, a propaganda é ofensiva, “injuriando o trabalho de mais de 12.000 profissionais certificados e credenciados pela ANCORD e registrados pela CVM”.

A ABAAI questionou ainda as motivações dos gerentes e assessores remunerados  do Itau: “Convidamos o Itaú Personalité a aderir nessa tendência e abrir as metas de seus profissionais, muitas vezes incompatíveis com os interesses de seus clientes.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).