Um grupo de ex-executivos da ARX Investimentos e das unidades de gestão de recursos do Itaú e do Santander está montando uma nova gestora no Brasil.

A Frontier Capital planeja lançar um fundo long biased em fevereiro, com parte do patrimônio em ações brasileiras e outra parcela em um portfólio global de ativos diversificados, para se proteger de potenciais turbulências, disse Rodrigo Fonseca, um dos sócios-fundadores e diretor de investimentos da casa.

“Queríamos ter um portfólio mais defensivo que a média dos fundos long biased, mas o problema era que o caixa não podia ficar parado no CDI,” disse Fonseca. De acordo com ele, a ideia é investir cerca de 40% do fundo na carteira global, que foi inspirada nos princípios da estratégia All Weather, do gestor americano Ray Dalio.

A Frontier, que terá sede em São Paulo, é um exemplo de como a indústria de fundos local vem apostando em produtos mais complexos com o juro na mínima histórica. Os fundos multimercados brasileiros registram captação líquida de mais de R$ 90 bilhões no acumulado do ano, de acordo com dados da Anbima.

O time da Frontier também é composto pelos co-fundadores Alexandre Cancherini, que passou os últimos oito anos na Santander Asset Management e vai focar em empresas do setor financeiro, e Eduardo Cotrim, ex-Franklin Templeton e Itaú Asset, especialista no setor de consumo.

Luiz Alberto Demarchi também faz parte da sociedade e mais dois novos sócios devem chegar ao longo dos próximos meses. Fonseca teve passagens por ARX, Vertra Capital e Pollux Capital.

O plano da Frontier é chegar a R$ 2 bilhões antes de fechar o fundo para captação.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).