Por David Lawder

WASHINGTON (Reuters) – A representante comercial dos Estados Unidos, Katherine Tai, disse que os Estados Unidos continuarão a pressionar para que os membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) cheguem a um acordo sobre uma estrutura de propriedade intelectual para as vacinas de Covid-19 depois que uma grande reunião da entidade marcada para a próxima semana foi adiada na sexta-feira.

O atraso da reunião em Genebra por conta das restrições de viagens e preocupações sobre a disseminação da nova variante ômicron de coronavírus complica os planos de Tai de promover sua visão de reforma da OMC.

Em um par de tuítes, Tai disse que o adiamento “é um lembrete de que ainda temos muito trabalho a fazer para acabar com a pandemia”.

A diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, disse que deseja que as negociações continuem, apesar de não haver encontros presenciais, enquanto as delegações dos países sediadas em Genebra devem ter autonomia para chegar a acordos, especialmente sobre vacinas.

Tai disse recentemente a repórteres que a OMC, que foi estabelecida para regular e facilitar o comércio internacional, não pode retornar ao seu status quo e precisa de uma nova visão e energia para se manter relevante em uma economia global em rápida mudança.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).