BRASÍLIA (Reuters) – O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta quinta-feira que a reforma administrativa proposta pelo governo é suave e generosa com os atuais servidores, ressaltando que a medida foi inicialmente bloqueada pelo próprio entorno do presidente Jair Bolsonaro.

Durante seminário promovido pelo IDP (Instituto Brasileiro de Ensino, Desenvolvimento e Pesquisa), Guedes também negou que haja descontrole fiscal no país e destacou que a versão da PEC dos Precatórios aprovada no Senado é “mal menor”.

“O entorno do presidente bloqueou a reforma administrativa no início”, disse. “A nossa reforma administrativa ficou suave, desidratada e generosa para o funcionalismo atual”, acrescentou.

O ministro ainda afirmou que preferia a versão inicial da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) dos precatórios que, segundo ele, reconhece o mérito das decisões do Judiciário, mas pede respeito à capacidade de pagamento do governo.

“Com a PEC dos precatórios, eu confesso que gostava mais da versão inicial, mas entrou no Legislativo, mexem aqui e ali, e acabou sendo um mal menor”, disse.

(Por Bernardo Caram)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).