S’AGARO, Espanha (Reuters) – A economia da zona do euro ainda está se recuperando, mas enfrenta um novo desafio com um aumento nos casos de coronavírus e uma nova variante, disseram dois membros do Banco Central Europeu nesta sexta-feira.

Autoridades globais e investidores reagiram nesta sexta-feira com alarde à nova variante do coronavírus, detectada na África do Sul, com União Europeia e Reino Unido entre aqueles anunciaram controles de fronteira mais rígidos, enquanto pesquisadores buscam descobrir se a mutação é resistente à vacina.

Os membros do BCE Ignazio Visco e Luis de Guindos disseram que a pandemia é mais uma vez motivo de preocupação.

“A incerteza permanece alta, refletindo principalmente uma situação sanitária que mais uma vez se tornou uma fonte de considerável preocupação”, disse Visco, presidente do banco central da Itália, em evento.

Visco disse que o novo aumento no número de infecções na Europa e em outros países, que tem se acelerado nas últimas semanas, adiou “a perspectiva pós-Covid”.

De Guindos, o vice-presidente do BCE, também observou os desafios impostos pela nova variante, aumento de casos e gargalos de oferta, mas adotou um tom mais otimista.

“Temos um fator diferenciador, que é a vacinação”, disse de Guindos em evento na Espanha. “Portanto, acho que o efeito sobre a economia será mais limitado, estou relativamente otimista.”

Ele acrescentou que a economia tem mostrado capacidade de se ajustar à pandemia e prevê que ela crescerá cerca de 5% neste ano e com força no próximo.

(Por Giuseppe Fonte e Giulia Segreti)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).