Abrir uma franquia depois de terem se tornado avós foi a realidade das empreendedoras Maria Cecília Lora, dona de uma franquia da Home Angels, e Maria do Amparo Santos, dona de uma unidade da Doctor Feet.

Cuidar da loja não estava nos planos de Maria do Amparo, de 57 anos. Em 2017, o marido teve a ideia de abrir o negócio em Uberlândia (MG), já que era cliente da franquia. Maria não ia participar do negócio por problemas de saúde, mas acabou ajudando com a papelada inicial e se encantou com a rotina empreendedora.

“Eu fui até a loja para ajudar e fui ficando. Isso ajudou na minha saúde, porque acabei tendo mais contato com pessoas e gostei da podologia. Hoje eu não consigo ficar longe de lá”, afirma Maria do Amparo. Com o novo negócio, ela começou a estudar e, neste mês de julho, se formou em podologia.

Maria Cecília Lora, de 74 anos, também caiu no empreendedorismo por necessidade. Em 2018, deixou o varejo de moda que atuava e comprou uma unidade da Home Angels, franquia especializada em cuidadores, em São Paulo.

“O setor que eu atuava passou por uma crise e eu tinha que ter um plano B, porque meu marido teve uma questão de saúde e acabou ficando afastado da vida profissional. Eu precisava ter uma entrada financeira para ser o sustento da nossa família”, afirma Maria Cecília.

Uma pesquisa do Sebrae, com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), mostra que o Brasil atingiu 1,8 milhão de empreendedores com mais de 65 anos no ano passado, o que corresponde a 7,3% do total de donos de negócios de pequeno porte.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).