Quem não se lembra das promoções de esfihas de queijo ou de carne a 39 centavos de real? Com preços imbatíveis, o Habib’s se tornou sinônimo de lanche barato e rápido para milhares de brasileiros ao longo da década passada. Mas esse Habib’s ficou para trás: depois de enfrentar uma crise em que fechou lojas e enfrentou processos tributários milionários, a rede agora aposta no delivery para voltar a crescer com seus lanches com preços populares.

Qual o tamanho do Habib’s atualmente? A rede fechou o ano passado com 540 unidades, não muito mais do que em 2014, quando o país mergulhou na crise econômica em que se encontra ainda hoje.

Quais os planos? A rede voltou a acelerar inaugurações neste ano: são 20 novos Habib’s e 100 Ragazzo (de comida italiana). A empresa também está reformando boa parte de suas lojas para melhorar o atendimento de delivery.

Qual a nova estratégia para crescer? A rede ainda tem como carro-chefe os lanches a preços baixos. Mas decidiu apostar pesado no serviço de entrega com base nos novos hábitos das pessoas. Hoje, quase a metade (46%) das vendas do Habib’s vem de fora da loja: do delivery e da comida para viagem, chamado em inglês de pick-up — quando o consumidor vai até a loja e leva o lanche para comer em casa. Há dois anos, esse índice era de 17%.

O que mais vai ser lançado? O Habib’s está implantando um sistema de drive-thru duplo: um para atender quem faz o pedido na hora e outro para os que já escolheram pelo aplicativo da rede ou pelo iFood. A mesma lógica será aplicada em balcões separados para quem chega à loja a pé.

Hoje, 262 unidades do Habib’s e Ragazzo têm drive-thru, que vão passar por reforma. Já nos próximos meses, a meta é estender o pick-up para 360 unidades.

De quem é o Habib’s? O fundador, controlador e presidente do Habib’s é o empresário Alberto Saraiva.

Restaurante do Habib’s: aposta no delivery para voltar a crescer
Crédito: Shutterstock

O que Saraiva diz sobre as mudanças? O empresário diz que é necessário facilitar a vida de quem vai até a loja porque, para o cliente do Habib’’s, a taxa de entrega pode ser um inibidor de consumo. Isso acontece porque, como o tíquete médio de gasto é baixo, a taxa de entrega pode representar facilmente 20% do valor da compra. “”

O Habib’s tem concorrentes? A pressão por mudanças também vem da concorrência, afirma o consultor Sérgio Molinari, da Food Consulting. Segundo ele, redes estrangeiras de fast food fizeram um trabalho competente para se proteger e até ganhar mercado na crise ao oferecer opções a preços mais baixos: um exemplo são as promoções de McDonald’’s e Burger King, que passaram a oferecer sanduíches a cerca de R$ 8 e tiveram boa aceitação.

Afinal, quanto custa hoje a esfiha mais barata do Habib’s? A esfiha de carne custa R$ 1,20. Mas a de queijo já custa R$ 2,78. E existem opções doces, como a esfiha com chocolate branco da marca Hershey’s, a R$ 7,50.  ”

(Com Estadão Conteúdo)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).