A rede Pizza Prime nem sempre teve esse nome. A primeira loja, localizada no bairro da Aclimação (região central de São Paulo), se chamava La Traviatta. Quando comprou a pizzaria, em 2001, o então estudante de administração Gabriel Concon procurava um negócio em que pudesse ganhar mais dinheiro do que como estagiário.

Na época, ele seguiu as dicas do tio – que trabalhava com distribuição de alimentos – para entrar no ramo de pizzarias. A primeira que ele tentou comprar era nos Jardins, bairro nobre da cidade. “Foi uma desilusão. Os donos desistiram na hora de assinar o contrato, já estava com o dinheiro na mão. Até pensei que tinha começado com o pé esquerdo”, disse.

Mas o jovem estudante não desistiu de entrar no ramo de pizzarias. Foi pesquisando anúncios de jornal que ele chegou à La Traviatta. Era uma pizzaria pequena, com três funcionários, e ficava perto da casa dele, na rua Tamandaré, na Liberdade.

A pizzaria deu certo e animou a família a entrar no negócio. “Meus pais moravam no interior [em Osvaldo Cruz]. Aí meu irmão veio para São Paulo e comprou uma pizzaria na Vila Mariana. O negócio foi dando certo e compramos na Mooca, na Saúde, na Vila Leopoldina.”

Bradesco Prime

O número de pizzarias não parava de se multiplicar. Mas cada uma tinha um nome diferente e foi ficando difícil administrar todas elas desse jeito. “Estava uma bagunça, era difícil de escalar. Em algumas vezes, uma loja concorria com outra da gente mesmo. Foi aí que surgiu a ideia de criar um nome para todas elas”, conta Concon.

O ano era 2010, quando as pizzarias passaram a se chamar Pizza Prime. De onde veio esse nome? O empresário diz que se inspirou em marcas fortes, como Bradesco Prime e Pizza Hut. “Queria um nome que transmitisse nosso conceito de qualidade, de preocupação com o atendimento, com o detalhe. E o nome tinha que ser forte.”

A última a ser rebatizada como Pizza Prime foi justamente a primeira loja, a da Aclimação. A partir da padronização de nomes, algumas unidades – as que ficavam muito próximas umas das outras – foram unificadas.

Ao mesmo tempo, a rede começou a expansão para fora de São Paulo. Foram inauguradas pizzarias em várias cidades de Santa Catarina.

Franquias

Concon diz que começou a pensar em um projeto de franquias a partir de 2015. Era preciso estudar toda a parte jurídica do negócio, além de toda a documentação necessária para essa nova fase. Mas foi só em 2019 que a Pizza Prime abriu a marca para franqueados.

“A gente já tinha 22 lojas, era preciso dar esse salto para profissionalizar a rede e crescer”, afirma o empresário. “

Segundo ele, a responsabilidade como franqueador é muito maior, pois a marca passa a ser cobrada pelos franqueados.

Por isso, foi preciso inaugurar um centro de treinamento para os novos franqueados. “Inauguramos uma loja conceito, com 30 funcionários, cuidando de toda parte de treinamento e consultoria.”

Pandemia

O ano de 2020 começou a todo vapor. Além da expansão por franquias, a Pizza Prime planejava inaugurar uma cozinha central em Santana do Parnaíba. Mas aí veio a pandemia e esse projeto foi adiado para 2021. “Esse é um grande sonho que a gente tem, ter essa cozinha central. Mas para inaugurar dependemos muito de documentações de órgãos como Anvisa e Cetesb. Com o home office, atrasou muito o projeto.”

Mas a Pizza Prime não parou de crescer por conta da pandemia. Foram inauguradas 12 lojas só no primeiro trimestre. Hoje, são 50 unidades entre próprias e franqueadas. Até o final do ano, serão inauguradas mais 10. Ou seja, a rede vai dobrar de tamanho em relação a 2019.

O que deu muito certo é que as pessoas não pararam de comer pizza na pandemia, muito pelo contrário. E quem não comprava por delivery, passou a comprar. A rede tem um app próprio, que triplicou de receita durante a pandemia.

Planos para 2021

Concon diz que um dos sonhos que ele persegue é o da padronização. Por isso a cozinha central é tão importante para esse plano. Os recheios e massas já sairão porcionados de uma mesma forma para todas as lojas.

A vantagem desse método, segundo o empresário, é que os desperdícios acabam, padroniza-se a produção e o franqueado não precisa se preocupar com a compra de insumos, por exemplo. “Quando a massa chega, uma bolinha hipercongelada, é só abrir. Não precisa preparar a massa. É só montar a pizza.”

Outro plano que vai ser colocado de pé é o de acabar com o atendimento por telefone em cada loja. Hoje, 80% por das vendas já são feitas por apps de delivery.

“Vamos centralizar o que sobrou do atendimento telefônico. Vamos ter um call center e fazer um atendimento centralizado”, conta o empresário.

Em outra frente estão os planos de levar a marca Pizza Prime para Portugal. Con dz que brasileiros que moram lá já o procuraram para montar pizzarias por lá. Essa expansão internacional só não aconteceu em 2021 por conta da pandemia. “Não tem comida como a de Portugal, mas elas ainda engatinham no delivery.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).