Fábricas da Volkswagen devem ter um reinício complicado depois das tradicionais férias de verão, já que a indústria automotiva ainda enfrenta escassez de chips que recentemente também atingiu a Toyota.

A fábrica da Volks em Wolfsburg, a maior do mundo, que emprega cerca de 60 mil pessoas, vai retomar as operações com apenas um turno na próxima semana de segunda a sexta-feira, disse a maior montadora da Europa.

A Audi, que responde pela maior parte dos lucros do grupo, planeja estender as férias de verão em uma semana em suas duas fábricas na Alemanha, pois a oferta de semicondutores continua “volátil e tensa”.

Alertas recentes de montadoras sobre meses difíceis à frente se mostram certeiros depois que surtos de Covid-19 no Sudeste Asiático levaram a restrições nas fábricas de processamento de chips. No mês passado, a Volks sinalizou produção “realmente restrita” durante o terceiro trimestre, enquanto a BMW prevê contínua incerteza.

A Toyota vai suspender a produção em 14 fábricas no Japão por vários períodos até o mês que vem, também afetada por problemas de fornecimento. A montadora japonesa estava contornando melhor a crise do que outros fabricantes graças aos estoques de chips e outros componentes importantes. O impacto será mais forte em setembro, com redução do plano de produção em 40%.

Embora montadoras tenham sido obrigadas a reduzir as expectativas de vendas, os preços mais altos dos veículos e o foco em modelos mais lucrativos ajudaram a amortecer o golpe.

De acordo com pesquisa do Susquehanna Financial Group, o prazo de entrega de chips já supera 20 semanas, indicando piora do quadro de escassez.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).