RIO DE JANEIRO (Reuters) – O consumo de energia elétrica no Brasil em agosto avançou 3,4% ante o mesmo período 2020, com impulso do crescimento no mercado livre, informou nesta sexta-feira a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Na comparação com o mesmo mês de 2019, antes da pandemia da Covid-19, houve um avanço de 4,4%.

“A avaliação da CCEE é de que a demanda por eletricidade segue em linha com o esperado, com alta menos acentuada do que as registradas no primeiro semestre deste ano”, afirmou a câmara em nota.

No mercado livre, ambiente em que grandes indústrias e centros comerciais podem negociar diretamente contratos de suprimento, o consumo foi de 22.139 MW médios, montante 10,1% superior a 2020. Se excluirmos as cargas que entraram para o segmento nos últimos 12 meses, o avanço seria de 5,2%.

Já no mercado regulado, no qual pequenas e médias empresas e consumidores residenciais adquirem eletricidade junto às distribuidoras, a demanda se manteve estável. As desconsiderar o efeito da migração de cargas no último ano, haveria alta de 2,3% na comparação com 2020.

A CCEE também apresentou dados sobre o impacto da geração distribuída para o consumo de energia no mercado regulado.

Segundo a entidade, o mercado regulado teria registrado uma alta de 1% caso não houvesse a instalação de sistemas de micro e mini produção solar fotovoltaica nas residências e pequenos comércios do país. Em relação a 2019, o aumento seria de 0,9% nessas mesmas condições.

(Por Marta Nogueira)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).