O Magazine Luiza registrou um aumento de vendas de consórcios de 28% na pandemia. Essa expansão aconteceu em um momento em que a varejista ficou boa parte do tempo com as lojas fechadas.

Como eram feitas as vendas? Até o início de 2020, a empresa fazia suas vendas, principalmente, nas lojas físicas.

Mas aí veio a pandemia e as lojas foram fechadas. Para se adaptar, o consórcio Magalu teve que se adaptar e para isso reformulou seu site e criou aplicativos para que toda a venda pudesse ser realizada digitalmente.

Como foi essa transformação? O Magalu utilizou ferramentas para automação de marketing e gestão de vendas da empresa Resultados Digitais.

“As plataformas permitiram a criação de uma presença digital forte no mercado de consórcios e obtivemos informações estratégicas de marketing para orientar nossas decisões” explica Luiza Amorim, gerente de marketing do Consórcio Magalu.

Luis Lourenço, head da área de CRM da Resultados Digitais, diz que a ferramenta integra as áreas de marketing e vendas, e gera relatórios que permitem analisar o desempenho dos times em tempo real. “Esses relatórios apontam, por exemplo, quais são os principais motivos de perda de uma venda, os pontos de melhoria, quais profissionais têm melhor desempenho com determinados produtos.”

A mudança já surtiu resultados? Sim. O consórcio Magalu bateu recorde, registrando o melhor agosto da história após implantação dos serviços digitais.

Qual o tamanho desse consórcio? O Magalu tem 72 mil clientes de consórcios. São 1.200 contemplações por mês. O consórcio mais vendido é o de veículos.

Por que as pessoas compram consórcios? Para Luiza, o planejamento financeiro é um dos motivos que levam as pessoas a buscar por esse tipo de produto. “Ele é uma opção de compra mais econômica em comparação a outras formas de aquisição de bens.”

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).