O Spotify divulgou lucro acima do esperado, impulsionado por crescimento na base de assinantes de seu serviço de streaming de música.

Pode me contar um pouco mais? A empresa sueca disse que seu número de assinantes premium aumentou em 26 milhões em um ano, e chegou a 113 milhões, no total. Com isso, o Spotify superou a Apple Music na corrida para dominar o mercado global de streaming de música, mas não conseguiu ultrapassar a Netflix, que tem 158 milhões de assinaturas.

A expectativa é que o número de assinantes do Spotify salte para a faixa entre 120 milhões e 125 milhões no quarto trimestre deste ano.  Já a base de usuários (incluindo os que usam o serviço gratuitamente) deve crescer para até 270 milhões — acima da estimativa média dos analistas de 259,7 milhões.

E os indicadores financeiros? No terceiro trimestre, o lucro líquido foi de € 241 milhões, ou € 0,36 por ação. O número surpreendeu por dois motivos: um, analistas esperavam que o Spotify registrasse prejuízo de € 0,29 por ação, e dois, o valor veio bem acima do registrado no terceiro trimestre de 2018. Um ano antes, o lucro havia sido de € 43 milhões de euros, ou € 0,23 por ação.

As despesas operacionais aumentaram 11%, para € 387 milhões, com os gastos com marketing subindo quase 22% em relação ao ano anterior.

A receita, no entanto, aumentou 28%, para € 1,73 bilhão nos três meses terminados em 30 de setembro. Analistas esperavam receita de € 1,72 bilhão de euros.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).