As notícias de perdas financeiras continuam a todo vapor com o avanço do coronavírus. Desta vez foi a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) que estimou o impacto negativo no setor de comércio e serviços brasileiros com a pandemia do covid-19: mais de R$ 100 bilhões nos próximos meses.

A projeção leva em consideração que as atividades estarão normalizadas a partir de maio. Caso os efeitos da pandemia avancem além desse período, o impacto deverá ser ainda maior.

Quais medidas estão sendo tomadas? Junto ao Ministério da Economia, a CNDL diz buscar alternativas emergenciais que possam, de alguma maneira, amenizar os impactos da pandemia do coronavírus no setor. Na última quarta-feira (18), o governo federal anunciou um pacote de medidas para que os empresários mantenham a viabilidade das empresas e não ocorra o fechamento de milhares de postos de trabalho.

A CNDL destacou outros pontos que reivindica:

  • Suspensão, por três meses, da cobrança do ISS e do ICMS sobre a comercialização de produtos e serviços, para micro e pequenas empresas;
  • Suspensão do contrato de trabalho com acesso ao seguro desemprego;
  • Suspensão do recolhimento do FGTS por três meses;
  • Suspensão de empréstimos por 60 dias e da execução dos protestos em cartório pelo prazo de 60 dias.

Em nota, a instituição, que representa mais de 500 mil empresas em todo o País, manifesta preocupação em zelar pela saúde da população brasileira e reitera que defende o fechamento de todas as lojas, com exceção de serviços básicos, como forma de conter a disseminação do coronavírus.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.