Por Andrea Shalal

WASHINGTON (Reuters) – O governo dos Estados Unidos recebeu nesta terça-feira dados mostrando que os preços ao consumidor aumentaram em seu ritmo mais lento em seis meses em agosto como evidência de que a inflação seria transitória, citando uma queda nos preços dos automóveis e desaceleração nos aumentos dos preços dos alimentos.

“A história dos dados de hoje é que os aumentos mensais de preços continuam a se moderar”, disse um funcionário da Casa Branca, falando sob condição de anonimato. “O relatório de hoje mostrou o núcleo da inflação abaixo das expectativas e desacelerando neste mês em comparação com os últimos dois meses –de 0,9% e 0,3% a apenas 0,1%.”

O funcionário disse que a atual recuperação econômica após a queda causada pela crise relacionada à Covid-19 no ano passado ainda pode trazer surpresas, mas a trajetória geral foi positiva.

“Estamos em uma recuperação sem precedentes, então haverá altos e baixos”, disse. “Mas a tendência mais ampla apoia o que acreditamos –e o que tem sido repetido por todos, desde o Federal Reserve aos mercados e analistas do setor privado: que a inflação é transitória enquanto nos recuperamos da pandemia.”

O Departamento do Trabalho informou nesta terça-feira que seu índice de preços ao consumidor, excluindo os componentes voláteis de alimentos e energia, subiu 0,1% no mês passado. Foi o menor ganho desde fevereiro, após alta de 0,3% em julho. O chamado núcleo do índice aumentou 4,0% em base anual, após avançar 4,3% em julho.

A Casa Branca e o Departamento do Tesouro, porém, continuam profundamente preocupados com o aumento do custo das moradias ocupadas pelos proprietários e qualquer efeito cascata sobre os aluguéis e a inflação geral.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).