Na guerra do crédito imobiliário, a Caixa ganhou participação de mercado com a redução das taxas cobradas dos clientes e o lançamento da linha de financiamento com correção pela inflação. A informação foi revelada pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, em entrevista ao programa Brasil em Pauta, da TV Brasil, que vai ao ar nesta terça-feira (dia 17) às 21h. O executivo também descartou que o banco volte a patrocinar clubes de futebol, como aconteceu ao longo dos últimos anos de forma expressiva até o início deste ano.

A seguir, alguns dos destaques da entrevista com Guimarães:

Planos de crescimento: A Caixa deverá estar presente em todos os municípios brasileiros até março de 2020. Do total de 5.570 municípios, o banco atende 5.415, cobrindo 97,2% das cidades brasileiras. “Estamos naquelas regiões em que basicamente ninguém está e isso nos gera uma vantagem competitiva muito grande”, disse Guimarães.

Guerra do crédito imobiliário: O presidente da Caixa revelou que o banco tem ganhado mercado com a redução dos juros do crédito imobiliário (iniciada no meio do ano) e com a nova linha de empréstimo para a compra da casa própria, com correção pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), lançada em agosto.

O banco é responsável por cerca de 70% do crédito imobiliário do país e também pelos pagamentos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço).

Inclusão social: O executivo também falou sobre a importância da inclusão social e lembrou que o banco contratou 2,8 mil pessoas com deficiência este ano. Ele disse que a legislação determina que 5% dos empregados sejam pessoas com deficiência, mas, antes da nova leva de admissões, o banco só tinha 1,5%.

Patrocínio ao futebol: “A Caixa patrocinava vários times de futebol, como o Flamengo. O Flamengo não precisa da Caixa. Quem precisa da Caixa? As populações carentes e as que têm algum tipo de deficiência”, afirmou.

(Com a Agência Brasil)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).