A economia brasileira corre o risco de não ter se expandido sequer 1% no último ano, mas, para algumas empresas, o ritmo é digno de crescimento chinês. Esse foi o caso da Red Bull, a famosa marca de bebida energética.

O volume de vendas da companhia austríaca atingiu o recorde de 7,5 bilhões de latas em todo o mundo em 2019, impulsionado pelo crescimento em mercados emergentes como Brasil (+30%), Índia (+37%) e África (+25%), disse a empresa famosa por seu slogan “Red Bull te dá asas” e pelo maciço investimento no esporte.

Isso significa que a empresa vendeu, em média, mais de 20 milhões de latas de Red Bull por dia em 2019, ou o equivalente a 850 mil latas por hora.

Qual o investimento da Red Bull no esporte? A Red Bull tem uma equipe que leva seu nome na Fórmula 1, pela qual foi campeã de pilotos quatro anos seguidos com o alemão Sebastian Vettel, no início da última década.

No Brasil, a empresa assumiu no ano passado o departamento de futebol do Bragantino, um clube do interior paulista: o clube ganhou a Série B do Campeonato Brasileiro (o equivalente à segunda divisão do principal torneio do país) em 2019 e passou a se chamar Red Bull Bragantino neste ano, quando disputará a Série A.

O empresa também associa a sua marca a diferentes esportes radicais.

Quais os demais números da companhia em 2019? A receita aumentou 9,5%, para 6,1 bilhões de euros (US$ 6,6 bilhões). Os níveis de lucro não foram divulgados, mas o site da empresa diz que esses resultados também atingiram recorde, o que significa que os donos bilionários da Red Bull podem ficar ainda mais ricos neste ano. A empresa distribuiu mais de meio bilhão de euros em lucro para acionistas em 2019.

Qual a história da Red Bull? Em 1987, o falecido empresário tailandês e criador de patos Chaleo Yoovidhya fez uma parceria com o especialista em marketing austríaco Dietrich Mateschitz, depois que este descobriu a bebida energética vendida pela empresa de Chaleo enquanto tentava amenizar o jet lag em uma viagem.

A Red Bull, que tem capital fechado, é controlada por Mateschitz e pela família de Yoovidhya, e ambos se tornaram bilionários graças ao tônico que inventaram. Mateschitz é a pessoa mais rica da Áustria, com patrimônio aproximado de US$ 12,4 bilhões, segundo o Índice de Bilionários Bloomberg.

(Com a Bloomberg)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).