Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – A atividade econômica brasileira deve continuar se acomodando nos próximos meses em meio a ruídos políticos, disrupções na cadeia de oferta e crise nos reservatórios de água, disse o Bank of America em relatório desta quarta-feira.

O documento foi divulgado na esteira de dados que mostraram que o Produto Interno Bruto brasileiro caiu 0,1% no período de abril a junho, depois de ter avançado por três trimestres consecutivos. [L1N2Q30U9]

“Esperamos que a atividade econômica continue mostrando moderação no terceiro trimestre de 2021 devido ao fim dos pagamentos do ‘coronavoucher’ em julho, ruídos políticos crescentes, disrupções no lado da oferta — que estão causando altos preços de custo e escassez de insumos — e baixos níveis nos reservatórios de água”, disse o BofA em relatório assinado por David Beker, chefe de economia e estrategista no Brasil.

O principal risco positivo para a atividade seria um desempenho melhor do que a expectativa do setor de serviços em meio à reabertura da economia, afirmou o banco.

Segundo o relatório, o BofA continua enxergando sua estimativa de crescimento do PIB de 5,2% em 2021 como “apropriada”.

Por outro lado, o credor global ajustou suas perspectivas para a alta dos preços no Brasil neste ano e no próximo, mostrou relatório separado de terça-feira.

O BofA agora espera que o salto da inflação oficial seja de 7,75% ao final de 2021, ante projeção anterior de alta de 7%. Para 2022, a expectativa é de que a inflação avance 4,0%, contra estimativa de 3,8% anteriormente.

“Essas revisões são devido a surpresas recentes nos preços administrados (especialmente custos de energia)”, afirmou o BofA.

Dados da semana passada mostraram que a pressão de energia elétrica levou a prévia da inflação oficial do Brasil a disparar para o nível mais alto para um mês de agosto em quase duas décadas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).