A Boeing planeja testar se rajadas de ar podem impedir que germes e vírus como o causador da Covid-19 circulem entre as fileiras de passageiros de aviões, como parte de uma iniciativa mais ampla para tornar as viagens aéreas mais seguras e limpas.

A fabricante de aviões está instalando 20 ventiladores aéreos com bicos especiais impressos em 3D para criar uma “cortina de ar” em um novo jato 737 Max 9, disse Doug Christensen, técnico da Boeing, na quinta-feira. A Alaska Airlines contribuiu com a aeronave chamada ecoDemonstrator para testar novas tecnologias nos próximos cinco meses.

“Se você entrar em um avião e a pessoa à sua frente espirrar e essas partículas estiverem flutuando, você ficará nervoso”, disse Christensen, que também é o líder técnico do programa ecoDemonstrator. “Esses bicos vão realmente empurrar o ar para baixo e para longe da área de respiração.”

O ecoDemonstrator é o oitavo avião comercial usado desde 2012 para testar 195 projetos idealizados pelos engenheiros da Boeing. O esforço deste ano apresenta cerca de 20 tecnologias promissoras.

Entre o que está sendo mostrado, destacam-se: um novo agente extintor de incêndio para motores de avião que reduz significativamente os danos à camada de ozônio em relação ao Halon 1301, que não está mais sendo produzido; a reciclagem de sobras de composto de carbono da asa do 777X em painéis das paredes laterais da cabine, e “luvas acústicas” em tampas de motor para ajudar a tornar os aviões mais silenciosos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).