Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) – O banco central do Japão deve reduzir sua estimativa de crescimento econômico para o atual ano fiscal, uma vez que os problemas de oferta devido ao fechamento de fábricas na Ásia prejudicou a produção e as exportações, disseram fontes familiarizadas com o pensamento do banco.

O Banco do Japão também deve cortar sua estimativa para a inflação ao consumidor para o ano que se encerra em março, disseram cinco fontes, o que reforça as expectativas do mercado de que ficará atrás de outros bancos centrais na redução das medidas de estímulo da crise.

As revisões destacariam a fragilidade da recuperação do Japão, uma vez que o aumento dos custos de importação e gargalos de oferta afetam as empresas, jogando dúvidas sobre a visão do banco central de que a força nos lucros das indústria compensará o consumo fraco.

As revisões farão parte das projeções trimestrais de crescimento e preço do banco central, a serem divulgados em sua reunião de política monetária de 27 e 28 de outubro.

As projeções atuais, feitas em julho, são de expansão da economia de 3,8% no atual ano fiscal e de 2,7% para o ano seguinte.

O Banco do Japão espera que o núcleo dos preços ao consumidor, que caiu 0,4% no ano fiscal anterior, subirão 0,6% no ano atual e 0,9% no seguinte.

(Reportagem de Leika Kihara)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).