SÃO PAULO (Reuters) – A Americanas divulgou nesta quinta-feira lucro líquido de R$ 240,6 milhões, forte alta ante os R$ 36 milhões do mesmo período de 2020, quando se inclui na conta efeitos tributários na base de cálculo do PIS/Cofins.

Excluindo este efeito, o resultado recorrente da companhia na realidade foi um prejuízo de R$ 6 milhões. Analistas, em média, esperavam que a companhia tivesse prejuízo líquido de R$ 12,6 milhões entre julho e o fim de setembro, segundo dados da Refinitv.

A Americanas, resultado da fusão dos ativos da Lojas Americanas com a controlada B2W, teve crescimento de venda bruta total no conceito GMV de R$ 12,9 bilhões no trimestre passado, expansão de 23,8% sobre o mesmo período do ano passado.

A concorrente Via divulgou na noite da véspera um crescimento de GMV total de 5,7% no trimestre, pressionado pela queda de 14,3% no desempenho de lojas físicas, enquanto as vendas digitais, tiveram um crescimento de 34,7%.

A Americanas apurou um resultado operacional medido pelo Ebitda ajustado de R$ 743 milhões no terceiro trimestre, praticamente estável ano a ano. A margem, porém, caiu 2,5 pontos, para 11,8%. Analistas, segundo a Refinitiv, esperavam Ebitda de R$ 604,5 milhões para a companhia no período.

A receita líquida cresceu 21,5% no período, para cerca de R$ 6,3 bilhões.

A companhia terminou setembro com uma posição de caixa líquido de R$ 3 bilhões.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).