A Amazon anunciou nesta quinta-feira (dia 19) a encomenda de 100 mil caminhões de entrega totalmente elétricos à startup americana Rivian — é o maior pedido já feito de veículos que dispensam o uso de motor a combustão. É um investimento de US$ 440 milhões. O anúncio foi feito pelo fundador e CEO da Amazon, Jeff Bezos, em evento em Washington, nos Estados Unidos.

Qual o contexto? Bezos disse que a Amazon quer reduzir o impacto ambiental de suas operações. A meta é se tornar uma empresa neutra do ponto de vista de emissão de carbono até 2040, o que significaria antecipar em dez anos o objetivo estabelecido pelo Acordo de Paris sobre o clima, no âmbito da ONU (Organizações das Nações Unidas).

Quem é a Rivian? É uma startup que desenvolve picapes, SUVs e caminhões de entrega elétricos. Ela planeja lançar no próximo anos os seus primeiros modelos, o R1T (uma picape) e o R1S (uma SUV). Os caminhões de entrega, que se assemelham a vans de grandes dimensões, serão produzidos para a Amazon a partir de 2021.

A Rivian recebeu três aportes neste ano: de US$ 700 milhões da própria Amazon em fevereiro, de US$ 500 milhões da Ford em abril e de US$ 350 milhões da Cox Automotive no início deste mês.

O que disse Bezos? “Nós decidimos usar o nosso tamanho e a nossa escala para fazer diferença”, disse o executivo. “Se uma companhia com tamanha estrutura física como a Amazon — que entrega mais de 10 bilhões de itens por ano — conseguir cumprir o Acordo de Paris com 10 anos de antecedência, qualquer uma também poderá.”

Não é uma ação isolada da Amazon de marketing? Sem dúvida, há marketing no projeto, mas a Amazon tem adotado outras medidas nessa direção: já fez investimento em geração de energia eólica e solar (em seus centros de distribuição) e criou um fundo de US$ 100 milhões para ações de reflorestamento.

 

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).