O Mercado Livre deve manter o plano de investir cerca de R$ 4 bilhões no Brasil em 2020, uma vez que a alta no comércio eletrônico provocada pelas medidas de isolamento social deve compensar os efeitos negativos do coronavírus em seu principal mercado, disse um executivo da companhia.

O que aconteceu? Maior portal de comércio eletrônico da América Latina, o Mercado Livre afirmou nesta terça-feira (5), dentro de seu balanço do primeiro trimestral, que observou forte retração da demanda na segunda metade de março, mas que o movimento foi retomado com força em abril, com cada vez mais consumidores comprando cada vez mais pela internet, o que tem exigido mais entregadores.

“Pode ser que tenhamos que redirecionar alguns investimentos para logística, devido ao aumento da demanda do e-commerce, mas no momento a ideia é manter o volume total”, disse à Reuters o vice-presidente da empresa para América Latina, Stelleo Tolda.

Quais tem sido as medidas do Mercado Livre? Segundo o executivo, a necessidade de continuar gerando caixa à medida que as medidas de isolamento social se estendem em várias partes do país, tem levado um número crescente de pequenos comerciantes a procurarem os canais digitais para venderem seus produtos.

O Mercado Livre afirma ter contratado 200 funcionários próprios e outros 2,5 mil terceiros desde a segunda metade de março para reforçar sua equipe de logística e dar conta do aumento do volume de entregas.

Tolda estima que muitos dos novos compradores e vendedores manterão as transações no ambiente eletrônico, mesmo depois que as medidas de isolamento forem desfeitas.

“Acredito que a participação do comércio eletrônico nas vendas totais vai se estabilizar em níveis maiores do que os que tínhamos antes da crise”, disse ele.

Além do aumento de pessoal, a empresa avalia inaugurar ainda neste ano, no Nordeste, seu quarto centro logístico no país.

Ao mesmo tempo em que amplia o foco em logística, a empresa tem revisto campanhas ligadas à expansão de seu braço financeiro Mercado Pago no varejo físico, justamente o mais atingido pelas medidas de isolamento para tentar conter o avanço da Covid-19.

No mês passado, a Reuters publicou que o Mercado Pago criou uma linha de crédito de R$ 600 milhões dirigida justamente a pequenos empreendedores atingidos pela crise.

Qual foi o resultado da empresa no 1º trimestre? O Mercado Livre teve receita líquida de 652 milhões de dólares no primeiro trimestre, aumento ano a ano de 37,6% em dólares. Embora tenha desacelerado nas bases sequencial e anual devido em parte à desvalorização das moedas de Brasil, Argentina e México, os principais mercados da empresa, em moeda constante o crescimento foi de 70,5%. No Brasil, responsável por 61% do total, a receita subiu 31,4% em dólar e 55% em real, ano a ano.

No Mercado Pago, a base de usuários únicos ativos cresceu 30,9%, a US$ 43,2 milhões, e o volume de pagamentos alcançou US$ 8,1 bilhões, aumento ano a ano de 43,5% em dólar e de 82,2% em moeda constante.

O Mercado Livre teve prejuízo líquido (após impostos) de US$ 21,1 milhões de janeiro a março, ante resultado também negativo de US$ 54 milhões no quarto trimestre de 2019.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).