SÃO PAULO (Reuters) – O IPP (Índice de Preços ao Produtor) do Brasil acelerou a alta em junho para 1,31%, de 0,99% em maio, e registrou taxa recorde em 12 meses de 36,81%.

Os dados divulgados nesta quarta-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) mostraram que, das 24 atividades pesquisadas, 18 tiveram variação positiva em junho.

A maior influência foi exercida pelas indústrias extrativas, que representou 0,60 ponto percentual depois de os preços subirem no mês 8,71%, após queda de 0,43% em maio.

“Depois de dois meses consecutivos com variações negativas na comparação mês contra mês imediatamente anterior, os preços do setor subiram … devido à variação dos preços em dólar no mercado internacional, apesar da apreciação do real no período”, explicou o gerente de análise e metodologia, Alexandre Brandão.

Também se destacou a alta de 2,80% dos produtos de metal, a segunda maior variação no mês entre todos os setores das indústrias extrativas e de transformação analisados na pesquisa, devido principalmente aos preços mais altos das matérias-primas utilizadas no setor, em especial o aço.

O IPP mede a variação dos preços de produtos na “porta da fábrica”, sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e da transformação.

(Por Camila Moreira)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).