(atualizado às 19h01)

As ações da plataforma brasileira de serviços financeiros XP Inc. subiram 27,63% no primeiro dia de negociação na bolsa norte-americana Nasdaq, alcançando a cotação de US$ 34,46 no fechamento. Na véspera (10), a empresa definiu os termos de sua oferta pública inicial (IPO) e precificou o papel a US$ 27.

As ações foram negociadas com forte valorização já nos primeiros momentos do pregão.

O valor da empresa subiu de US$ 14,9 bilhões, estimado no IPO, para US$ 19 bilhões no fechamento. É um valor de mercado de R$ 78,3 bilhões, mais do que o BTG Pactual (R$ 68 bilhões) e o Magazine Luiza (R$ 77,3 bilhões). A operação marcou o quarto maior IPO nos Estados Unidos e o maior de uma empresa brasileira neste ano.

Na visão da equipe de analistas do Safra, o sucesso do IPO da XP reforça a perspectiva do mercado de que a empresa continuará a apresentar altas taxas de crescimento nos próximos anos.

“Acreditamos que o IPO traga um resultado positivo também para o Itaú Unibanco, de cerca de R$ 1,2 bilhão, com a reavaliação da participação do Itaú no patrimônio da XP. Merece destaque que a participação atual do Itaú na XP de 46% está avaliada em R$ 28,4 bilhões (considerado resultados não realizados), valor muito superior ao que o Itaú investiu, R$ 6,3 bilhões em meados 2017″, escreveram analistas do banco.

Essa conta se mostrou defasada com o fechamento do pregão: a fatia de 46% do Itaú Unibanco passou a valer R$ 36 bilhões.

(Com a Reuters)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.