Imagine a seguinte situação: de repente, surge um convite irrecusável para trabalhar no exterior. Uma oportunidade e tanto, mas com grande impacto na sua vida — e nas suas finanças. Afinal, o planejamento financeiro voltado para a compra de um imóvel, por exemplo, passa a fazer menos sentido. Novos sonhos, novos investimentos.

Imprevistos acontecem, e eles são muitos. Perder o emprego, divórcio, gravidez etc. Nessas horas em que os planos mudam, é necessário realocar seus investimentos e adaptá-los à nova realidade. E como fazer isso? Segundo o planejador financeiro Bruno Mori, a primeira providência é ter calma. Para ele, agir de forma impulsiva pode levar a prejuízos desnecessários. E o risco é ainda maior em um cenário de incertezas, como o da pandemia de coronavírus.

Um exemplo de precipitação foi a fuga de investidores de ativos de dívida privada — como fundos de crédito, debêntures, CRAs e CRIs — que ocorreu no auge da crise do ano passado.

A baixa liquidez assustou os investidores. Por isso, muita gente correu para vender seus papéis a qualquer preço. Um grande erro, na visão de Mori: “Se a pessoa tivesse esperado seis meses ou um pouco mais, poderia ter saído desse investimento sem muito prejuízo”.

Nova carteira de investimentos

Com a ajuda do Bruno Mori, o 6 Minutos preparou uma lista de cuidados para você reequilibrar sua carteira de investimentos com base nos seus novos planos.

Qual o prazo do seu sonho? Saber se você pretende realizar o sonho no curto, médio ou longo prazo impactam diretamente na estratégia de alocação.

Conhece-te a ti mesmo – Nós mudamos durante a vida, e a nossa forma de encarar os investimentos também. Antes de realocar seus investimentos, vale a pena refazer o suitability — aquele questionário que diz se você é mais conservador, moderado ou arrojado. Assim, você poderá montar uma estratégia mais alinhada com o seu perfil atual.

Reavalie o cenário – Muita gente não revê a estratégia de tempos em tempos — algo saudável quando há mudanças no cenário econômico. Essa é a chance de reavaliar se ainda vale a pena investir em produtos com juros baixos ou apostar na valorização do dólar.

Vá devagar – Não mova seus recursos todos de uma vez. Considerando o momento de instabilidade, a recomendação é fazer a realocação dos recursos pouco a pouco, para evitar que eles sofram impacto maior pelas oscilações do mercado.

Não tenha vergonha de pedir ajuda – O auxílio de um profissional pode dar mais consistência ao plano, mas não é imprescindível. Com um pouco de organização e vontade de aprender, qualquer pessoa é capaz de definir, por conta própria, uma nova rota para seus investimentos pessoais.

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).