Uma análise feita pela Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Proteste) com 91 contas correntes de dez bancos verificou que as tarifas cobradas para pessoa física por serviços básicos podem variar de zero a R$ 968 ao ano.

A avaliação da Proteste apontou que as melhores escolhas para quem quiser economizar são o C6 Bank (Conta Digital, pessoa física), Next (Cesta Next) e Inter (Pacote Conta Digital). Nos três casos, não há cobrança pelo uso de serviços básicos. A associação lembra que nenhuma das opções vencedoras oferece emite cheques, mas lembra que essa modalidade de pagamento está em desuso e tende a ser substituída pelo Pix.

Já o pacote mais caro de serviços ficou para o Bradesco Exclusive 3, ao custo mensal de R$ 80,70, o que corresponde a R$ 968,40 ao ano.

A avaliação da Proteste considerou exclusivamente o uso de serviços bancários em postos de autoatendimento e app do banco.

Serviços essenciais

De acordo com a resolução 3.919/10 do Banco Central, as instituições não podem cobrar pelos chamados serviços essenciais. “Para usufruir do benefício, o consumidor só precisa dizer ao gerente do banco que deseja uma conta-corrente sem pacote”, afirma Rodrigo Alexandre, especialista da Proteste.

São considerados serviços essenciais isentos:

  • Dez folhas de cheques/mês.
  • Quatro saques/mês.
  • Compensação de cheques.
  • Duas transferências mensais entre contas na mesma instituição.
  • Consultas pela internet sem limite.
  • Dois extratos, por mês, com a movimentação dos últimos 30 dias em terminal de autoatendimento e/ou guichê da caixa.
  • Cartão de débito, incluindo segunda via, exceto em casos de perda, roubo, furto, danificação ou outros motivos em que a instituição não tenha responsabilidade.
Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).