Se você já sacou os seus R$ 500 de contas ativas ou inativas do FGTS — ou se ainda não chegou a sua vez, mas você pretende fazê-lo — e o seu saldo era igual ou inferior a um salário mínimo (R$ 998), uma boa notícia pode estar a caminho: o Senado aprovou na noite de terça-feira (dia 12) a medida provisória (MP) que estabelece o aumento do valor do saque para R$ 998 na condição acima descrita. Como a MP já havia sido aprovada pela Câmara na última semana, ela vai agora para a sanção do presidente Jair Bolsonaro.

Como e quando o saque da diferença de R$ 498 (R$ 998 – R$ 500) será feito? Se Bolsonaro sancionar a MP sem vetos, a Caixa terá que anunciar as regras para o saque. Isso deve acontecer nos próximos dias.

Todo trabalhador terá direito a sacar até R$ 998? Não. O novo limite se aplica apenas aos trabalhadores que tinham ou possuem saldo máximo de um salário mínimo no momento de fazer o saque.

O que é o saque das contas ativas e inativas do FGTS? É uma medida anunciada pelo governo federal em julho com dois objetivos, um de curto prazo e outro de caráter estrutural.

O objetivo de curto prazo é estimular a economia por meio do consumo — e o crescimento das vendas do varejo ema setembro indica que a medida começou a atingir os efeitos desejados.

O objetivo de caráter estrutural é dar ao trabalhador a alternativa de escolha do que fazer com um dinheiro que lhe pertence, em vez de o governo obrigá-lo a deixar o dinheiro parado no FGTS.

O que mais preciso saber? A MP aprovada pelo Congresso também institui as regras do chamado saque aniversário do FGTS, que é o direito de receber os recursos que estão no fundo uma vez por ano, na data de aniversário do trabalhador. Veja aqui se vale ou não a pena aderir a essa modalidade.

Leia mais: 10 perguntas e respostas sobre o saque das contas ativas do FGTS

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.