Apple, Amazon, Google, Facebook. Nesta quinta-feira (dia 29), as quatro maiores empresas de tecnologia dos Estados Unidos, que juntas valem US$ 4,85 trilhões, apresentarão seus balanços do segundo trimestre, e ficará claro se a aposta do mercado em seu bom desempenho durante a pandemia de coronavírus terá valido a pena.

Mais do que isso: os investidores saberão o que as big techs, como foram apelidadas pelo mercado, esperam para os próximos meses.

“A apresentação desses resultados vai ser extremamente relevante para o mercado, já que há muita expectativa embutida nessas empresas”, afirma William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue, corretora baseada em Miami. “Duvido que haja alguma surpresa negativa, mas precisamos saber as previsões para o terceiro trimestre”.

Na semana passada, outra grande de tecnologia, a Microsoft, apresentou seus resultados.

Apesar de ter apresentado uma alta de 13% em seu lucro no período entre abril e junho, mais do que o esperado pelo mercado, a expectativa de uma alta menor do que a esperada no resultado dos próximos meses fez os papeis da empresa caírem.

Independentemente do que vem por aí, não há como negar que essas empresas, que já vinham se consolidando como estrelas no mercado americano, aumentaram ainda mais sua atratividade durante a crise.

No segundo trimestre, as big techs tiveram um ótimo desempenho nas bolsas americanas. Veja abaixo a valorização das ações dessas empresas entre abril e junho:

Apple  +43,4%

Amazon.com  +41,5%

Alphabet (Google) +21,5%

Facebook +36,1%

Polêmica

Nesta quarta-feira, os principais executivos das quatro gigantes irão depor em uma comissão do Congresso dos EUA. Serão ouvidos Sundar Pichai (da Alphabet, matriz do Google), Tim Cook (da Apple), Mark Zuckerberg (Facebook) e Jeff Bezos (Amazon).

As empresas são investigadas por agentes que investigam possíveis ações para monopólio do mercado americano.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.