Em um cenário de elevado desemprego e inflação disparando, 67,2% das famílias da cidade de São Paulo possuem algum tipo de dívida, de acordo com levantamento da FecomercioSP. Esse percentual, registrado em agosto, representa a maior taxa de endividamento da série histórica, iniciada em 2004.

As dívidas no cartão de crédito respondem pela maior parte dos débitos, segundo a pesquisa: 80,7% dos paulistanos possuem pendências nessa forma de pagamento. Em seguida, aparecem os carnês, com 18,6% do total, o maior percentual desde agosto de 2015.

Segundo a entidade, são 2,68 milhões de pessoas com algum tipo de débito na cidade – aumentos de 46 mil, na comparação mensal, e de 446 mil em relação a agosto do ano passado, quando essa taxa era de 56,4%.

Os números mostram ainda que as famílias de renda mais alta também estão vendo o endividamento crescer: 62,2% daquelas que ganham mais de 10 salários mínimos no mês possuem algum tipo de pendência, contra 68,9% das com rendimentos até 10 salários.

“Isso é efeito do desemprego e da inflação elevada”, aponta Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).