Apesar de a maior parte dos brasileiros ainda realizarem transações bancárias através de instituições financeiras tradicionais, quase 30% já pilotam suas finanças com uma combinação de bancos  estabelecidos e os digitais.

É o que mostra uma pesquisa realizada pela Fujitsu, empresa de tecnologia da informação e da comunicação, com 2 mil entrevistados no Brasil.

Essa mistura das duas possibilidades, segundo o levantamento, é a mais alta entre os países pesquisados (Austrália, Canadá, Alemanha, Japão, México, Nova Zelândia, Finlândia, Irlanda, Espanha, Reino Unido e Estados Unidos).

Como está a utilização de bancos tradicionais e digitais pelos brasileiros? A maioria dos entrevistados (64%) afirmou que ainda opera suas finanças em bancos tradicionais. Apesar disso, 27% dos ouvidos disseram que combinam instituições financeiras já consolidadas com o uso de bancos digitais.

“Os consumidores brasileiros estão preparados para usar múltiplos provedores para conseguir o melhor. Apesar de dois terços ainda usarem bancos tradicionais, um quarto deles usam uma combinação de bancos estabelecidos e novos entrantes, o maior percentual para qualquer país”, afirma a pesquisa.

A demanda por bancos digitais muda de acordo com a faixa etária? Sim. Os mais jovens são os que lideram a intenção de fazer a transição para bancos digitais no médio prazo:

  • 33% dos pesquisados entre 25 a 34 anos preveem fazer essa transição em até cinco anos
  • 16% é a média global dos que preveem essa mesma transição em meia década

Ao mesmo tempo, segundo o levantamento, os brasileiros ainda demonstram cautela quanto à estabilidade dos bancos digitais.

“Isso significa que essas instituições devem se preocupar com infraestruturas sólidas, sustentadas por segurança e transparência, para tranquilizar os consumidores sobre sua longevidade”, afirma a pesquisa.

O que determina o processo de escolha de um banco? Segundo o levantamento, uma experiência digital positiva e bons serviços online são pontos determinantes nessa escolha.

“É importante frisar que 74% dos brasileiros dizem estar impressionados com a quantidade de soluções bancárias disponíveis hoje no mercado e, por vezes, se confundem com tantas informações”, pondera o levantamento.

A experiência bancária melhorou no Brasil? A pesquisa mostra  que sim, com 85% dos entrevistados afirmando que sua experiência bancária é melhor hoje do que era há cinco anos.

Nove em cada dez  acreditam que essa interação irá melhorar nos próximos anos, e quatro em cada cinco pesquisados afirmam querer que os bancos sejam mais inovadores.

Há preocupações com segurança e privacidade? O levantamento mostra que sim. Mais da metade dos brasileiros entrevistados afirmou que a insegurança sobre suas informações pode ser um motivo que os fará deixar de aderir a bancos digitais no futuro.

“A partir dessas informações, fica evidente que apesar de desejarem por serviços digitais avançados e inovadores e confiarem em seus bancos, os brasileiros se mantêm atentos a como essas instituições financeiras estão garantindo o sigilo e segurança de suas informações”, avaliou Alex Takaoka, diretor de vendas da Fujitsu no Brasil, em material de divulgação da pesquisa.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).