A inflação oficial fechou 2020 em 4,52%, o maior patamar desde 2016. Na prática, não é isso que o brasileiro sentiu no bolso ao longo do ano. A percepção é de que os produtos do dia a dia ficaram bem mais caros do que o apontado pelo IPCA.
A reportagem do 6 Minutos analisou a base de dados do indicador, divulgados nesta terça-feira (12), e encontrou aumentos até 23 vezes acima dos 4,52% da inflação oficial em itens comuns na mesa dos brasileiros.
Veja alguns exemplos abaixo: 
  • Óleo de soja: 103,79%
  • Arroz: 76,01%
  • Batata-inglesa: 67,27%
  • Tomate: 52,76%
  • Leite longa vida: 26,93%
  • Frutas: 25,40%
  • Carnes: 17,97%
  • Frango inteiro: 17,16%
  • Frango em pedaços: 14,08%
  • Atum: 12,31%
  • Queijo: 9,79%
  • Gás de botijão: 9,24%
  • Energia elétrica residencial: 9,14%

Quer tirar suas dúvidas sobre o Imposto de Renda de 2021? Mande sua pergunta por e-mail (faleconosco@6minutos.com.br), Telegram (t.me/seisminutos) ou WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).