Os dados de junho mostraram uma recuperação na indústria de fundos de investimentos, segundo dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais) divulgados nesta quarta-feira (dia 8).

No mês passado, segundo a entidade, os fundos captaram R$ 50,1 bilhões, a primeira vez que o número ficou positivo desde o início da pandemia de coronavírus.

“Junho nos trouxe notícias positivas, apesar de termos sofrido por causa da volatilidade do mercado”, afirmou Carlos André, vice-presidente da associação. “As captações estão se recuperando, e com uma boa representatividade fora da renda fixa”.

Em junho, os fundos multimercados, que investem em renda fixa mas também em variável (ou seja, são um passo além da diversificação e tomada de risco), que tiveram entrada de R$ 13,2 bilhões em recursos. A renda fixa ficou positiva em R$ 33,9 bilhões e os fundos de ações, em R$ 800 milhões.

De acordo com ele, a expectativa da Anbima é de uma retomada mais rápida do mercado do que o verificado em outras crises, como a de 2008.

Acumulado do ano

Apesar da melhora no mês passado, a entidade frisou que, no acumulado do ano até junho, as captações da indústria de fundos estão negativas em R$ 16,2 bilhões.

O destaque negativo foi a renda fixa, com saída de R$ 95,2 bilhões –além da crise em si, os juros básicos estão no menor patamar da história, o que também retira atratividade dessas aplicações.

“Parte dos resgates foi para pagamento de compromissos, obrigações. Os fundos de renda fixa são muitas vezes a reserva de emergência, que fornecem liquidez para crises como a que estamos atravessando agora”, afirmou André.

Apesar da turbulência dos últimos meses, os fundos de ações estão no positivo, com entrada de R$ 49,5 bilhões, assim como os multimercados, que encerraram o primeiro semestre com captação positiva de R$ 30,9 bilhões.

“Apesar da volatilidade, em todos os meses tivemos captações positivas nos fundos de ações. Nos multimercados, com exceção de abril, também se observou um comportamento semelhante, o que mostra um nível de maturidade maior dos investidores e participantes do mercado”.

Rentabilidade

Entre os diferentes tipos de fundos, os que mais tiveram queda de rentabilidade foram os small caps (que aplicam em papeis de empresas menores e que movimentam menos volume na bolsa), com retração de 20,3% no primeiro semestre.

O destaque positivo foram os fundos multimercado com investimentos no exterior, que entregaram um retorno de 5,8% no período.

 

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).