O PayPal vai parar de cobrar juros dos consumidores que optarem pelo serviço “buy now, pay later” (compre agora, pague depois, em português). Essa modalidade é parecida com o crediário braileiro.

A mudança na política da empresa vale para as compras realizadas por consumidores dos Estados Unidos, França e Reino Unido e entra em vigor a partir do dia 1º de outubro. Nos Estados Unidos, as cobranças variam de acordo com o Estado, mas são de, no máximo, US$ 10.

A modalidade de “compre agora, pague depois” explodiu nos Estados Unidos nos últimos meses, especialmente entre os consumidores mais jovens. Além do PayPal, outras empresas que aderiram esta forma de pagamento são Afterpay, Klarna e Affirm.

Desde que o PayPal começou a oferecer o serviço, os consumidores já gastaram US$ 3,5 bilhões em compras.

“Nós sabemos que eliminando as cobranças de juros daremos uma experiência ainda melhor para as compras da modalidade. Essa mudança está completamente alinhada as missões e valores do PayPal para remover obstáculos financeiros aos consumidores”, diz Greg Lisiewski, vice-presidente do produto no PayPal.

No mês passado, o grupo de Proteção aos Consumidores dos Estados Unidos alertou que, ao aderir ao compre agora e pague depois, muitos consumidores podem ter problemas financeiros justamente por causa dos juros cobrados.

Várias empresas que oferecem a modalidade de compra não cobram juros e não cobram mais dos vendedores que oferecem o serviço. São cobradas apenas as taxas usuais para o uso do PayPal.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).