Os millennials — de 25 a 34 anos — descobriram, nos últimos dias, que pagar boletos é coisa de velho. Hábitos como esse foram tachados pelos jovens de 18 a 24 anos (Geração Z) como sendo super “cringe” (vergonhosos, em bom português).

Tudo começou com a criadora de conteúdo Carol Tchulim, que lançou a pergunta:

Além da manifestação de desconforto em ouvir os millennials falando de pagar boletos no final do mês, os hábitos abandonados pela Geração Z que mais têm gerado discussão incluem tomar café da manhã, usar hashtags e falar sobre a série Friends.

Já que os mais jovens nem sabem o que são boletos, quisemos descobrir quais são as práticas financeiras da Geração Z. Para isso, reunimos dados de estudos realizados pelo CNDL/SPC Brasil e Banco Next. Confira:

1. Não se prepara para a aposentadoria

75% não paga INSS nem possui uma previdência privada. As justificativas são falta de renda (27%), acreditar que é cedo demais (27%), não ter dinheiro sobrando (24%) e não saber como guardar as economias (21%).

2. Opta por investimentos pouco rentáveis

Dos 52% que possuem dinheiro guardado, 53% mantêm os valores na poupança, 25% guardam em casa e 20% na conta corrente.

3. Vive sem banco

Apenas um terço possuía conta bancária em 2019. Muitos acabam utilizando apenas serviços como Google Wallet ou Apple Pay.

4. Sonha com casa própria, mas não com carro

O desejo de adquirir um imóvel entra nos planos de metade da geração, enquanto a compra de um carro está nos planos de apenas 14%.

5. É mais aberta a novidades

72% da Geração Z estão dispostos a experimentar produtos e serviços novos, incluindo versões em fase de teste, que têm mais propensão de apresentar erros em algum momento.

6. Compra menos por impulso

Os jovens tendem a comparar preços e características dos serviços, e pesquisam mais do que outras faixas etárias. Além disso, tendem a avaliar se a empresa é ética e responsável. Caso contrário, optam por não consumir os produtos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).