Quando se considera a modalidade débito da nova função de pagamento do WhatsApp, a taxa cobrada da rede social dos comerciantes, de 3,99% por transação, é a mais alta do mercado, mostra levantamento obtido pelo 6 Minutos com base no percentual praticado pelos principais operadores desse mercado.

A própria Cielo, por exemplo, parceira do WhatsApp na novidade, pratica uma taxa de 2,39% a cada transação no débito. A GetNet cobra 2%; Mercado Pago, Rede, Ton e PagSeguro, 1,99%, SafraPay, 1,88%; C6 Pay, 1,85%.

Nesta segunda-feira (dia 15), o WhatsApp anunciou que vai permitir pagamentos e transferências de dinheiro direto no aplicativo. As transações poderão ser feitas entre pessoas físicas e também entre clientes e empresas (é apenas neste caso que será cobrada uma taxa de 3,99%).

Esse percentual, segundo o Facebook, será o mesmo para débito e crédito, uma política diferente das outras empresas de pagamento, que diferenciam as taxas dependendo se o pagamento é debitado de forma instantânea ou se é no crédito.

No caso dos outros players, as taxas praticadas no crédito à vista são mais elevadas do que no débito: Cielo e a PagSeguro cobram 4,99%; a Ton, 4,98%; o C6 Pay, 3,89%; a Rede, 3,49%;  a GetNet, 2%; e a SafraPay, 1,99%.

Entenda

O Brasil é o primeiro país em que será possível transferir dinheiro para pessoas físicas e jurídicas através da rede social. A novidade foi anunciada pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, que é dono do WhatsApp.

O aplicativo possui mais de 120 milhões de usuários individuais no Brasil, seu segundo maior mercado, atrás da Índia.

Veja algumas características do novo produto:

  • Somente transações no Brasil são autorizadas
  • As transferências e pagamentos só poderão ser feitas em real. Outras moedas não são suportadas pelo aplicativo
  • Não há custo para pessoas físicas fazerem transferências e pagamentos. Para comerciantes, o valor cobrado é de 3,99% por transação, independentemente se é débito ou crédito
  • O limite entre pessoas físicas é de 20 transferências por dia. Cada transferência pode ser de até R$ 1 mil, e cada usuário pode receber no máximo R$ 5 mil por mês. Nesta modalidade, apenas o cartão de débito é aceito.
  • Entre os parceiros confirmados pelo WhatsApp estão o Banco do Brasil, Sicredi, Nubank, Visa e Cielo.

O que disse Mark Zuckerberg: “Enviar e receber dinheiro é tão fácil quanto compartilhar uma foto. Estamos permitindo também que pequenos negócios façam vendas diretamente do WhatsApp”. E completou: “O Brasil é o primeiro país a receber o recurso. Mais novidades em breve”.

Como será o pagamento entre pessoas? A Cielo disse que a versão mais recente do aplicativo apresentará gradativamente a opção ‘pagamentos’ no menu e que, por meio dela, será possível realizar transações 24 horas por dia, sete dias por semana, 365 dias por ano, além de acompanhar o histórico das movimentações.

“O interessado em realizar pagamentos para outras pessoas ou para empresas precisará cadastrar e validar seu cartão de débito ou múltiplo no WhatsApp.”

E como funcionará o pagamento para o comércio? Funcionará nas modalidades débito e crédito, sem limite de valor. Nas transações de débito, o comerciante receberá o valor da venda em um dia; e em dois dias nas transações de crédito. Será cobrada do comerciante uma taxa de 3,99% por transação tanto no crédito quanto no débito.

Para realizar vendas as empresas precisarão se credenciar à Cielo por meio da plataforma do WhatsApp. O uso da ferramenta dispensa a compra ou aluguel de máquinas.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).