Por Marcela Ayres

BRASÍLIA (Reuters) -Os lojistas que disponibilizarem saques em dinheiro a partir do Pix devem receber por isso, indicou nesta quinta-feira (12) o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

A inovação, que permitirá que os comércios funcionem como caixas eletrônicos, deverá entrar em operação no final do ano, disse Campos Neto, ao participar de evento online promovido pela Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes).

“A gente está num processo agora de pensar em como isso vai trafegar, quais são os preços. Muito provavelmente a gente vai começar numa situação em que lojista na verdade recebe pra fazer esse serviço”, afirmou.

O presidente do BC não especificou valores e limitou-se a afirmar que o recebimento deverá ser de “alguma coisinha”.

Ele defendeu ainda que este será um grande incentivo para o lojista, pois na prática ele será remunerado por algo que faria de graça e que o beneficiará, já que poderá encerrar o dia com menos recursos em espécie no caixa –implicando menos gastos com segurança do numerário.

“Para as pessoas vai ter uma gratuidade até um número bastante elevado de negociações, e a gente está desenhando como vai ser o fluxo. Deve entrar em vigor em breve”, acrescentou.

PLANOS DE SAÚDE NO OPEN FINANCE

De acordo com Campos Neto, o open finance, projeto do BC para compartilhamento amplo de dados mirando o barateamento de produtos na ponta, poderá abarcar também a área de planos de saúde.

O presidente do BC afirmou ter conversado com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a respeito.

“É importante entender que esse mundo está se descentralizando, então não é só open banking, é open finance, no sentido que eu quero abranger, quero ter uma coisa mais abrangente e embarcar todo mundo”, disse.

“A gente pensa em seguros, a gente pensa em previdência privada. Recentemente (houve) uma conversa até com ministro da Saúde de estender isso até para área de plano de saúde”, acrescentou.

O open finance –ou sistema financeiro aberto– vai abrir espaço para a possibilidade de clientes de produtos e serviços compartilharem suas informações entre diferentes instituições autorizadas pelo BC. Eles também vão poder movimentar suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas, e não apenas pelo aplicativo ou site do banco.

A implementação do open finance está sendo realizada em fases pelo BC e a perspectiva é que seja concluída até dezembro.

(Por Marcela Ayres; Edição de Camila Moreira e José de Castro)

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu celular? Estamos no Telegram (t.me/seisminutos) e no WhatsApp (https://6minutos.uol.com.br/whatsapp).