O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou que dados do início de julho seguem apontando melhora nas vendas do varejo e um impacto menos negativo para a indústria em meio à crise com o coronavírus.

Em apresentação divulgada pela assessoria de imprensa por ocasião de reunião com embaixadores da União Europeia, Campos Neto usou gráfico de vendas no varejo apontando crescimento para bens não duráveis no período de 28 de junho até 4 de julho –o que não havia ocorrido até aqui.

Ele repetiu que dados preliminares indicam alguma recuperação no varejo, exceto para serviços.

Já em relação à indústria de manufaturas, a mensagem continuou sendo de que há diferentes trajetórias de queda e recuperação nos setores, mas com variações no consumo de energia elétrica em geral mais positivas do que em apresentação do BC de 29 de junho.

Em relação à Selic, o presidente do BC reiterou que um eventual ajuste futuro no grau de estímulo monetário será residual e que o espaço remanescente para queda dos juros “é incerto e deve ser pequeno”.

PIX

Em outra apresentação, Campos Neto defendeu que a possibilidade de consumidores fazerem saques em lojas que será aberta pelo PIX, plataforma de pagamentos instantâneos do BC, vai baixar o custo operacional da negociação no varejo.

Em abertura de evento sobre o novo sistema, Campos Neto afirmou que essa será uma solução considerando a realidade de muitas cidades, especialmente no interior do Norte e Nordeste, onde há dificuldade para transporte de numerários.

Ele pontuou que há cidades que não têm caixas eletrônicos, com bancos retirando a operação de caixas eletrônicos por questões de segurança. Por outro lado, os lojistas lidam com custos altos para transporte de dinheiro.

“A ideia é fazer com que qualquer estabelecimento comercial seja um lugar onde as pessoas possam sacar dinheiro. Isso vai ser bom para as pessoas, porque elas vão precisar ter menos dinheiro na carteira. Vai ser bom para os estabelecimentos porque vão otimizar o volume de dinheiro que vão manter em estoque”, disse.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.