A faixa etária em que mais cresce a bancarização no país é a de crianças e adolescentes entre 0 e 15 anos de idade, segundo dados do Banco Central. Em 2010, havia 1,5 milhão de pessoas desse grupo com algum tipo de relacionamento financeiro. Em 2019, esse número havia subido para 3,2 milhões, uma alta de 113%.

Um dos motivos que explica esse crescimento é a pequena representação dessa faixa etária no total de bancarizados. Outra é o aumento da oferta de produtos voltados para esse público. O Next, banco digital do Bradesco, se aliou à Disney para lançar uma conta gratuita para o público de 0 a 17 anos.

No começo do ano, os youtubers Eagle Trindade e Gabriel Neox, donos do canal Neagle, começaram a testar o Neaglebank, que oferece uma conta com cartão pré-pago para crianças adolescentes. “Sentimos na pele como é difícil não ter uma conta ou cartão. Se você quer comprar um joguinho, precisa pedir o cartão dos pais. Daí surgiu a ideia do banco”, disse Eagle.

Pela lei, menores de 18 anos podem ter conta em bancos e corretores. Só precisam do aval do responsável. A única restrição é o acesso ao crédito, por isso essas contas funcionam com cartão pré-pago ou de débito.

A quantidade de serviços para esse público teve um impulso com a proliferação de bancos digitais. A dúvida é se esse público tem maturidade suficiente para ter uma conta. “Eles podem ter conta desde que ela não tenha nenhum limite de crédito, não esteja atrelada a outro produto financeiro e seja supervisionada pelos pais. Note que coloquei várias ressalvas”, Elle Braude, planejadora financeira pela Planejar.

Segundo ela, os adultos devem ensinar as crianças sobre como usar a conta “É preciso soltar os filhos com um risco calculado. Se você deu a semanada e ele gastou tudo em um joguinho, tem que ensinar que o dinheiro acabou. A criança vai ficar chateada, vai passar vontade, mas é parte do aprendizado.”

Para saber como os pais podem ajudar seus filhos a ter uma boa relação com o dinheiro, o 6 Minutos conversou com Elle Braude. Veja principais dicas:

Trate do assunto de forma lúdica

A dica é começar com o velho e bom cofrinho de moedinhas. “Vá dando moedinhas para a criança guardar”, diz Elle.

Segundo ela, a exposição ao assunto tem de ser feita de acordo com o conhecimento da criança. “Não adianta falar de juros simples e compostos.”

Mostra a importância da espera

O conceito de poupar está diretamente ligado à capacidade de espera. “Esse é o principal conceito. Ensinar que se a criança guardar o dinheiro e esperar, conseguirá acumular a quantia necessária para comprar alguma coisa.”

Semanada ou mesada?

A mesada pode ser usada como instrumento de educação financeira. Mas para crianças menores de 6 anos, a mesada pode parecer uma data muito distante. “Para os pequenos, é melhor começar com a semanada. Vá espaçando conforme eles vão crescendo.”

Organize as finanças da família

Não adianta querer ensinar educação financeira para os filhos se os pais vivem enrolados com dinheiro. “O primeiro passo é organizar as próprias finanças, pois a criança aprende pelo exemplo.”

Leve os pequenos ao supermercado

Ensine-os a comparar preços. Esse exercício ensinará como fazer melhores escolhas financeiras na hora de fazer compras. “Se você pegar o sorvete mais barato, sobrará dinheiro para comprar outras coisas.”

Ensine-os a ficar dentro do limite

Até mesmo adultos têm dificuldade para lidar com limites de crédito. Crianças devem ser ensinadas a usar apenas o que têm disponível na conta. “O mau uso do crédito vira uma bola de neve. Se souber esperar, se guardar, dá para comprar à vista.” https://bit.ly/32591yZ

Veja o que os bancos oferecem para crianças e adolescentes

Banco do Brasil

A BB Conta Jovem está disponível para clientes entre 12 e 21 anos incompletos e que ainda não entraram na universidade. É uma conta individual, sem limite de crédito e que dá acesso a alguns produtos e serviços.

Para os jovens universitários entre 16 e 28 anos, o banco oferece a BB Conta Universitária. É uma conta individual, que dispensa comprovação de renda e tem cartão múltiplo de débito e crédito com desconto na anuidade.

Inter

A Conta Kids é gratuita e oferece possibilidade de investimentos em renda fixa como CDB, LCI, LCA e poupança, além de acesso a fundos de investimento e previdência privada, para planejar o futuro de toda a família.

nxtJoy

A conta para menores deve ser criada pelos pais ou responsáveis e oferece serviços como cartão de débito, transferências e educação financeira.

Neaglebank

Há cobrança de tarifas para emissão do cartão (de R$ 18 a R$ 47,90), saques no Banco 24Horas (R$ 7,90) e outros serviços. Assinantes da conta NeaglePlus pagam R$ 7,90 por mês e têm acesso a conteúdos exclusivos dos youtubers.

Caixa

O banco tem o Cartão Mesada, em que os pais podem definir o limite que a criança poderá usar e alterar a qualquer momento. Todas as despesas são listadas na fatura do titular, separadas pelo nome de cada usuário. O Cartão Mesada está disponível para crianças a partir de 12 anos.

Quer receber notícias do 6 Minutos direto no seu WhatsApp? É só entrar no grupo pelo link: https://6minutos.uol.com.br/whatsapp.